Bem… eu vou falar bastante em Stephen King por uns tempos. Isso porque eu tenho uma predileção pelo autor e algumas de suas historias marcaram época. Algumas histórias simples tornaram-se filmes cultuados até os dias de hoje como Um Sonho de Liberdade, Conta Comigo e Colheita Maldita. Novamente o mesmo argumento: uma boa história não precisa ser uma trilogia, uma tetralogia ou ter 10.000 páginas para ser marcante.

O conto do qual estou falando hoje pertence ao livro Sombras da Noite. Trata-se de um conto de pouco mais do que 8 páginas. Nele, King demonstra sua capacidade de mudar os rumos de uma história em um piscar de olhos. Um dos pontos negativos que eu apontei em Sob a Redoma, uma das histórias mais na moda nos dias de hoje, é que ela se torna arrastada no meio. King tenta dar muita profundidade aos personagens e a história acaba por ficar maçante. Quando ele retoma o andamento da mesma, os acontecimentos se sucedem muito rapidamente.

Neste conto, temos um homem comum que vai comprar flores para sua namorada e pede conselhos a um vendedor de flores sobre que tipo deveria comprar. Após esse breve diálogo, o homem segue em seu caminho para encontrar sua namorada. Neste encontro, temos uma terrível surpresa. Não vou spoilar porque o conto é pequeno e vale pelo impacto.

O que parece ser uma história que anda em um ritmo, muda em poucas linhas. Gostei do twist no final. Me surpreendeu positivamente. King nos apresenta o personagem, mostra suas motivações e nos dá aquela margem de segurança de que o conhecemos no todo. E nos dá uma rasteira no final, mostrando que não conheciamos nada. Novamente me passa a sensação de ser uma daquelas histórias contadas ao redor de uma fogueira.

Recomendo a leitura que pode ser feita rapidamente em uma tarde. Aliás, o livro Sombras da Noite é de excelente qualidade. Apesar de ser uma coletânea de contos, todos possuem uma qualidade acima da média. Poucos foram os que eu não gostei.

Anúncios